28 de abril de 2020, por:

Fest Bossa & Jazz home sessions comemora dia internacional do jazz

Imagem: Divulgação.

Em comemoração alusiva ao dia internacional do jazz, o Fest Bossa & Jazz preparou uma enorme programação para esta quinta-feira (30). Com o titulo de “Home Sessions”, a proposta é fazer uma live com 10 apresentações diferentes de artistas nacionais e internacionais, além de duas home sessions em seis horas de música a partir das 16 horas. A transmissão será realizada por meio do instagram oficial do festival, que você pode acessar AQUI.

Estão confirmado no evento o gaitista Jefferson Gonçalves; as cantoras Taryn Szpilman e Cacá Magalhães; a violonista Wanda Sá; o pianista, compositor e produtor russo, Misha Piatigorsky;  o duo italiano The Cinelli Brothers; o trompetista norte americano Mark Rapp; a dupla Jaques e Paula Morelembaum; a cantora Indiana Nomma; o pianista Gilson Peranzzetta convida o cantor João Senise; o cantor e compositor Marcos Viana; Família Pádua; e o conceituado guitarrista Nuno Mindelis;

A produção do evento, durante esse período que antecede as lives, está arrecadando doações para o Instituto Juvino Barreto, entidade que cuida de idosos em Natal/RN. Quem quiser colaborar pode acessar a vaquinha virtual AQUI.  Durante as apresentações também serão exibidos os dados bancários dos artistas para que o público possa colaborar e ajudar nesse momento de paralisação devido a pandemia de covid-19.

Conversamos com Juçara Figueiredo, produtora do Fest Bossa & Jazz que fala mais detalhamende sobre o evento.

A ideia de fazer a live surgiu da necessidade de não passar batido o dia internacional do jazz?

Não só, pensamos também no fato de não ficarmos inertes com a situação e presentiarmos nosso público com uma programação recheada de boas surpresas. Já havíamos realizado 3 edições presenciais em Natal em outros anos, daí porque não fazer uma edição online no dia em que se comemora o jazz no mundo!!! Estamos mais uma vez participando com a chancela da Unesco.

Como foi articular com todo esse pessoal aqui e lá fora pra realização dessa live?

Temos uma excelente relação com os músicos do seguimento, o festival é muito respeitado dentro e fora do país, temos uma ótima curadoria, então é só arregaçar as mangas e trabalhar, aliás a equipe e colabores estão de parabéns.

Além de arrecadar doações pro Juvino Barreto, os dados bancários dos artistas serão exibidos para colaboração espontena. O quão importante é colaborar com a classe artistica nesse periodo?

Colaborar com a classe artística neste momento é crucial, principalmente no nosso seguimento que não é cultura de massa, dependem mesmo do dia a dia de trabalho, se defendem como podem, trabalhando em estúdios que agora está parado, fazendo shows em locais intimistas, os cachês são curtos, enfim eles não tem reservas, vivem do dia a dia de trabalho e não podem desaparecer.

O que o publico pode esperar desse evento que terá seis horas de atrações? 

Muito música boa, bons momentos pra interagir com músicos de primeira linha e claro, muitas emoções e divertimento.

O international jazz day já teve 3 edições. Como está sendo realizar essa neste momento?

Prazeiroso demais, a nosso trabalho agora é um pouco diferente onde dependemos mais dos recursos on-line, mas estamos com uma equipe minúscula, com um diretor de arte Gustavo Mitilene que também é o nosso ativador das mídias sociais, nosso Tecnico e editor de vídeos, o Luciano Prates que é nosso curador, nosso tradutor de textos, coordenador das lives, a G7 comunicacão que cuida da nossa assessoria, o Jefferson Gonçalves coordenador e curador das Home Sessions de blues e Liz Rosa na curadoria e coordenação das Home Sessions de Jazz e Bossa Nova, temos ainda Fernanda Monteiro a cargo da locução e ainda temos o braço solidário onde estaremos arrecadando doações para o instituto Juvino Barreto.