3 de abril de 2020, por:

Felipe Nunes lança EP Entropykos

Foto Capa: Augusto Júnior / Direção de Arte: Rodrigo Costa, Augusto Júnior e Felipe Nunes

Primeiro lançamento do cantor e compositor Felipe Nunes, o EP Entropykos celebra a ancestralidade rítmica e a poesia nordestina com trajes modernos e psicodélicos. O selo Rizomarte, que vem trabalhando de forma incansável, é o responsável por mais este lançamento que estreia hoje nas plataformas de streaming e você pode ouvir AQUI.

Sergipano radicado em Natal há mais de sete anos, Felipe Nunes é historiador e está prestes a concluir o mestrado em antropologia social pela UFRN. Foi também um dos realizadores do Sarau Insurgência Poéticas nos últimos anos. Essas experiências são bem traduzidas em seu EP de estreia, carregado de ícones e temas regionais em suas cinco faixas.

“O EP buscou contar sua história através de narrativas contra-hegemônicas. O Entropykos nasce da simbiose entre a palavra entropia (termo da física onde, a grosso modo, afirma que estamos sempre a se multiplicar e se movimentar) com a palavra tropicalismo, que permeia o trabalho de Caetano, Gil, Jorge Mautner, Gal Costa, Nara Leão, dentre outrxs. O nome é um reflexo literal do EP, onde buscamos amalgamar diversas sonoridades sobre histórias que formam a identidade cultural brasileira. As letras tocam em temas como a releitura da história a partir da ancestralidade, o legado de luta e resistência dos povos indígenas e negros/as, a importância da resiliência como estratégia de vida, a linha tênue entre utopias e distopias”, detalha Felipe.

São beats e programações eletrônicas ao ritmo de ijexás e afoxés combinado à guitarras, violões, tambores, flautas, rabecas e sintetizadores que formam a plataforma para a poesia febril e pulsante de Felipe. O EP conta com produção musical de Pedras Leão e participação de Kebler Moreira (percussão), Heather Dea Jennings (flauta), Tiquinha Rodrigues (Rabeca), Walter Nazário e Rafael Melo (guitarra) e Henrique Lopes (synths e direção artística).