14 de maio de 2020, por:

Edital Música Transforma segue com votação aberta

A primeira fase do edital Som sem Plugs “Música Transforma” foi um sucesso. Foram realizadas mais de 100 inscrições e, para efeito de comparação, o último edital do Som Sem Plugs em 2017 teve cerca de 80 inscrições e na fase da votação contou com 20 mil votos. Novidade na edição deste ano, foi lançado um webapp para contabilizar os votos da segunda fase. O engajamento não poderia ser melhor e até o momento já são computados mais de 70 mil votos.  “Foram mais de 100 artistas/músicos inscritos nas  três categorias, com representantes da capital e do interior do estado e de uma grande variedade de estilos musicais, como pode ser visto nos 30 selecionados para a fase final”, enumera o diretor de marketing do projeto Luciano Prates.

Além do webapp, outra novidade nesse ano foi a criação de novas categorias. Além da principal, também foram abertas inscrições para músicas instrumentais e também para músicas temáticas, alusiva ao slogan do edital “Música Transforma”, que tiveram ótima adesão.  Em virtude da pandemia do novo coronavírus e das medidas de isolamento, o edital foi ajustado para as produções vencedoras serem realizadas por meio de lives com consultoria técnica da equipe do Som Sem Plugs. Como forma de ajudar a classe artística, que foi duramente impactada, também foi disponibilizado cachês, não só para os vencedores mas também para os artistas mais votados.

Entre os jurados da primeira seletiva estavam nomes como a cantora Khrystal e o jornalista da BBC Bruno Garcez. Completaram o time de jurados a jornalista Carol Reis e o DJ e produtor Jota Marciano.  Para Bruno, que não conhecia muito bem a cena musical potiguar, ser jurado foi uma ótima experiência. “Fiquei muito positivamente surpreso com a diversidade da música local, a variedade de estilos, a abrangência. Foi bem enriquecedor, um aprendizado, valeu muito a pena”, destaca.

Já para Khrystal, que conhece e é figura de destaque na cena potiguar, participar da comissão julgadora do foi uma grata surpresa. “Tem muita gente compondo legal e isso é importante para a continuidade de um trabalho que começa com Babal, Pedro Mendes, Cleudo Freire, Sueldo Soares, passa pela minha geração junto de Simona Talma, Angela Castro, Luiz Gadelha, Valéria Oliveira, Caio Padilha e tantos Bambas que temos. A sensação é de continuidade, cada um de acordo com sua visão de mundo e fortalecendo nossa produção. Nomes como Maria Fontxs, Marcos Vinícius, Pablo Daniel, Diniz K9, Iury Mathias, Lee Araújo, Yrahn Barreto, Ivando Monte e João Salinas, entre os demais selecionados, só diz pra mim que estamos muito bem representados e que a música Potiguar tem fôlego de sobra na manutenção da ala da composição potiguar”, elogia.

O diretor geral do Som Sem Plugs, Felipe Campos, explica sobre a ideia e concepção do edital, já que as atividades convencionais do projeto foram paralisadas devido a pandemia. “Foi na perspectiva de estar junto aos artistas nesse momento, por conta do compromisso que é a espinha dorsal do projeto, que decidimos antecipar e adaptar o edital que já estava previsto para ações deste ano no segundo semestre. Modificamos o formato e também inserimos o suporte financeiro que é de sua importância nesse momento. A adesão e o engajamento de todos tem sido um sucesso. Nossa ideia é atravessar esse momento difícil juntos, com criatividade, fazendo parcerias, premiando e divulgando a produção autoral do nosso estado”, detalha.

As votações estão abertas por meio do webapp que pode ser acessado AQUI até o dia 21 de maio. Existe uma sessão para conhecer mais sobre os artistas selecionados e as canções selecionadas e outra para o voto nas três categorias.