Som Sem Plugs

Menu

Artistas {Pedro Mendes}

Pedro Mendes Pedro Mendes

O cantor e compositor Pedro Mendes é um dos principais destaques da música do Rio Grande do Norte. Natural de Parnamirim (RN), iniciou a carreira profissional em 1980 e apresentou suas canções pelo Brasil e na Itália. Autor de Linda Baby, conhecido como hino não-oficinal de Natal, Pedro Mendes lançou dois LPs, recebeu vários prêmios, participou de grandes projetos e, pelo trabalho que desenvolveu ao longo de 35 anos, conquistou o reconhecimento de estrelas da música popular brasileira, como Moraes Moreira, Lenine e Gilberto Gil, cuja parceria For a Hungry Man teve seu registro audiovisual gravado recentemente pelo projeto Som Sem Plugs.

A repercussão nacional do trabalho de Pedro Mendes começou cedo, em 1983, quando foi selecionado para participar do projeto Pixinguinha. O potiguar percorreu o Brasil ao lado de artistas de outros estados que também buscavam espaço. O sucesso foi imediato. Assim que o circuito terminou, Pedro Mendes foi avisado que tinha sido selecionado para o Pixingão, uma reunião dos melhores shows do Pixinguinha, e percorreu mais uma vez o país, agora ao lado do ídolo João do Vale.

O primeiro registro fonográfico em disco de Pedro Mendes ocorreu em 1983, no LP Música Universitária, interpretando as canções O sétimo sonho (autoral) e Amanhecer (em parceria com Heraldo Palmeira). A veia artística pulsava através do ritmo e gingado que imprimia nos shows e também das composições que nasciam uma atrás da outra. E logo veio a oportunidade de lançar o primeiro disco autoral. Em 1987, com o dinheiro guardado de um trabalho feito numa campanha eleitoral no ano anterior, Pedro Mendes entrou em estúdio para gravar o LP Esquina do Continente.

A gravação ocorreu num estúdio de Recife, com 16 músicos de Natal e do Rio de Janeiro, e prensagem realizada na gravadora Continental, em São Paulo.  O disco traz Linda Baby, Esquina do Continente, Brilho de Uganda, Alegres meninos, entre outras. Em Natal, o disco só perdia em número de vendas para  mais novo lançamento do Chiclete com Banana.

O primeiro LP da carreira levou Pedro Mendes a viajar mais uma vez pelo Brasil, especialmente pela região Nordeste, dessa vez em voo solo. Em shows, o potiguar dividiu o palco com outros artistas em evidência na época, como Jorge de Altino e Luiz Caldas.

Três anos depois de estourar no Nordeste com Esquina do Continente, em 1990, Pedro Mendes entrou novamente em estúdio para gravar o segundo disco. Nascia o LP Um Pedro a mais, gravado novamente em Recife com músicos de Natal, da Bahia e do Rio de Janeiro. A prensagem, dessa vez, foi realizada na gravadora Polygram. O disco foi lançado em Natal e na tradicional casa de espetáculos Asa Branca, no Rio de Janeiro.

Outro sucesso de venda e público, o LP Um Pedro a mais levou o potiguar para o exterior. À convite do festival “Marche Canta Brasil”, apresentou seu repertório nas cidades italianas Ancona, Pesaro, Marota, San Benedetto e Porto Recanatte. De volta ao Brasil, Pedro participou do Festival Regional da Canção Popular (fecarpo), em Cascavel-PR, e fez temporada de seis meses em Santa Catarina, nas cidades de Blumenau e Camboriú.

Do sul, Pedro Mendes viajou até a região Norte para vencer o festival da Canção de Itacoatiara, no Amazonas, e de lá foi selecionado pelo “Canta Nordeste”, festival da Rede Globo. Em paralelo, abriu em Natal o projeto Seis e Meia para Nico Rezende, Alceu Valença e Chico César.

De volta a Cascavel em 1997, participou mais uma vez do festival Fecani e, no ano seguinte, foi um dos convidados do programa “Palco”, do canal MTV.

Pedro Mendes tem mais de 60 composições gravadas e cantadas por artistas de fora, como Renato Braz, e também do Rio Grande do Norte, a exemplo de Valéria Oliveira, Sueldo Soares, Cida Lobo, entre outros. Já dividiu o palco com João Bosco, Flávio Venturini, Luiz Melodia e, em 1995, foi eleito o artista mais popular do Estado em pesquisa feita pelo jornal Diário de Natal.

Em 2012, criou a melodia para a letra For a Hungry Man, canção de Gilberto Gil que havia se perdido com o tempo e aparece classificada no Song book do compositor baiano como ‘perdida’.  Alguns meses depois, um amigo conseguiu mostrar o resultado ao próprio Gil, que autorizou a gravação.

Atualmente, Pedro Mendes vem se atualizando e desenvolvendo uma técnica própria como instrumentista. Em 2016, recebeu uma homenagem do festival Música Alimento Da Alma (MADA) pelos 35 anos de Linda Baby e continua cantando o compondo.

Vídeos

Artistas

ver todos
← mova deslizando com os dedos →
Carregando
Aguarde, carregando...